Os trabalhadores e trabalhadoras da Eletrosul, reunidos em assembleia na Sede e no Sertão, decidiram por paralisar suas atividades no dia 22 de junho (quinta-feira), como forma de pressionar a diretoria da empresa a definir a data de pagamento da PLR. A Eletrosul, como resultado da PLR em 2016, terá uma distribuição de 1,994 folhas, mas até agora não há nenhuma perspectiva de pagamento. O resultado da votação foi:

•             Favoráveis à paralisação: 140

•             Contrários à paralisação: 04

•             Abstenções: 0

Durante as assembleias, foi também discutida e encaminhada para votação a adesão dos trabalhadores da Eletrosul à greve geral do dia 30 de junho. Diversos motivos para a greve foram elencados, como o desmonte da previdência, a retirada de direitos trabalhistas, o descontentamento com a representação do Congresso Nacional, entre outros. A votação teve o seguinte resultado:

•             Favoráveis à paralisação: 138

•             Contrários à paralisação: 3

•             Abstenções: 3

É importante que todos os trabalhadores participem da paralisação do dia 22 e da greve geral do dia 30 como forma de dar uma resposta a uma conjuntura político-econômica que pretende retirar direitos, privatizar estatais e marginalizar e destruir a imagem dos trabalhadores que dia após dia, faça chuva ou sol, lutam para construir um país e uma sociedade melhores.

 

Trabalhadores elegem pauta para discutir dia 22

Ao final da assembleia, os trabalhadores listaram uma pauta a ser debatida durante a paralisação do dia 22 de junho. Os temas escolhidos e que causam preocupação entre os trabalhadores são a Reestruturação da empresa, o CSC, Fundação Elos, contratos, fusão com a CGTEE.

A discussão desses pontos será um momento para os trabalhadores aprofundarem os temas, trocarem impressões e proporem alternativas que atendam aos seus anseios e criem condições para a empresa superar o difícil momento com escuta e diálogo.

 

Portanto, todos à paralisação do dia 22 e à greve geral do dia 30