Na quarta-feira, 02 de agosto de 2017, aconteceu  em Florianópolis a Marcha Mundos de Mulheres por Direitos que faz parte da edição brasileira do Congresso Mundos de Mulheres, que ocorre juntamente com o Seminário Internacional Fazendo Gênero 11, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A manifestação se propõe a ser um espaço de luta que integre experiências e reivindicações de pessoas do mundo todo: mulheres negras, indígenas, quilombolas, agricultoras, residentes do campo e da cidade, trabalhadoras do sexo, pessoas trans e não-binárias, mulheres lésbicas, bissexuais, estudantes, trabalhadoras informais, imigrantes, acadêmicas, de várias partes do mundo.

Desde o surgimento do movimento feminista (não se pode precisar a data) os debates de gênero vêm construindo outras formas de lutas. A historiadora Joana Maria Pedro, no texto “Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica” escreve que o uso da palavra “gênero”, tem uma história que é tributária de movimentos sociais de mulheres, feministas, gays e lésbicas. Tem uma trajetória que acompanha a luta por direitos civis, direitos humanos, igualdade e respeito.

Joana Pedro aponta que foi justamente na chamada “segunda onda” que a categoria “gênero” foi criada, como tributária das lutas do feminismo e do movimento de mulheres. “O que as pessoas dos movimentos feministas estavam questionando era justamente que o universal, em nossa sociedade, é masculino, e que elas não se sentiam incluídas quando eram nomeadas pelo masculino”. Para ela, uma história feminista torna-se uma maneira de fazer a crítica da maneira como esta história é narrada e como esta disciplina atua, tornando-se um “lugar de produção do saber de gênero”.

O efeito das ondas desse movimento ecoa, hoje, nas palavras, nos cartazes, nos gritos de guerra contra o machismo e em outras formas de fazer a luta política. Durante a marcha que encheu de cores as ruas de Florianópolis se mostrou a necessidade de combater a violência de gênero dentro dessa sociedade machista e patriarcal.