As centrais sindicais organizaram na última sexta-feira, 10, o chamado “Dia do Basta!”. Uma data de paralisação e manifestações em todo o país, como resistência aos cortes de direitos implementados pelo governo golpista de Michel Temer. Em Florianópolis, a concentração aconteceu em frente à Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), às 15h, e seguiu até a Fiesc onde os empresários participavam de um evento.

 

A maré cheia interrompeu o trânsito no sentido Centro/ Rio Tavares e fez com que o ato ganhasse uma maior dimensão, por ser a rota da Lagoa o único acesso ao sul da ilha. Nos jornais locais os jornalistas bradavam: “O governador ficou preso no trânsito por duas horas por causa da manifestação”. Não falaram em momento algum sobre os cortes na saúde e educação por 20 anos e as consequências que isso terá a longo prazo para a população.

 

A manifestação foi pacífica e teve a protagonismo da juventude que mostrou energia e vitalidade para enfrentar esse cenário conturbado. Durante o ato os (as) sindicalistas fizeram um ato simbólico com a queima de carteiras de trabalho como crítica à reforma trabalhista.

 

Os atos em todo o Brasil se pautaram por: basta de desemprego; basta de privatizações; basta de destruição do serviço público; basta de preços abusivos dos combustíveis e do gás de cozinha; basta de aumento de tarifas e basta de retirada de direitos.