Integrada à semana de Jornadas e Debates sobre o preço da energia aconteceu na manhã de hoje na Eletrosul um ato em defesa das estatais de energia. A mobilização da Plataforma Operária e Camponesa da Água e Energia, da qual o Sinergia faz parte, contou com a presença de líderes de várias entidades entre eles Rodrigo Timm, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Arthur Ragusa, da direção nacional da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Eduardo Grandi, trabalhador da Casan e Luis Carlos Vieira da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE/SINTE).


Para os eletricitários o recado foi de que o “Preço da Luz é um Roubo”, tendo em vista que o custo para produzir energia elétrica no Brasil é um dos mais baixos do mundo e no entanto a tarifa é uma das mais altas. Os lucros são abusivos e toda riqueza é mandada embora do país. Enquanto as usinas da Eletrobras vendem energia por R$ 76 por 1.000 quilowatts, a população paga para as distribuidoras em média R$ 685. A saída é reduzir preço da luz e manter a Eletrobras pública.