Os sindicatos que compõem a Intersul repudiam com veemência a determinação da Holding Eletrobras e a decisão das demais empresas do grupo que sem tratativas com as entidades sindicais, suspenderam o pagamento da PLR2018 aos empregados cedidos para a administração pública e para outras empresas.

Os trabalhadores anistiados conquistaram o direito a sua reintegração e a cessão a outros órgãos não foi opcional, e sim, uma imposição. Para os sindicatos da Intersul, a suspensão do pagamento da PLR é um ato injusto e discriminatório, cabendo a contestação, inclusive por via judicial.

Neste sentido, a Intersul encaminhou oficialmente o repúdio em correspondência enviada a Eletrosul e paralelamente está buscando administrativamente a reversão da decisão  empresarial.

Também já está definido que em caso de fracasso das tratativas administrativas, a Intersul irá disponibilizar assistência jurídica aos empregados cedidos que sofreram a suspensão da PLR2018, em ação coletiva a ser conduzida pelo escritório De Negri Lindoso, que representa o Coletivo Nacional dos Eletricitários, com honorários diferenciados para os associados aos sindicatos da Intersul.

Aos trabalhadores interessados na ação judicial a Intersul orienta buscar informações e documentos necessários junto ao representante sindical do seu local de trabalho.

FILIE-SE AO SEU SINDICATO!

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!