Acontece em Salvador, de 22 a 24 de janeiro, o Planejamento do Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE) com vistas à Campanha Salarial de data-base 2020- 2021. Neste planejamento, seis dirigentes de entidades que compõem a Intersul estiveram presentes para debater sobre as estratégias de campanha com base na conjuntura econômica e outras análises específicas do setor elétrico. A data base dos eletricitários que se encerra em primeiro de maio,e novamente vai exigir dos trabalhadores muita vontade de lutar, união e organização para vencer os desafios impostos a toda a classe trabalhadora.

Antes disso no mesmo local, a Confederação Nacional dos Urbanitários (CNU) realizou o 10º ENU – Encontro Nacional dos Urbanitários. A CNU é uma Confederação composta por Federações como a FNU, FRUNE, FURCEN e outras entidades dos setores Elé­trico, Saneamento, Gás e Meio Ambiente. O encontro contou com a participação de expressivo número de trabalhadores destes setores e a presença de impor­tantes personalidades nas mesas de debates. Foram 22 Estados representados, 32 Entidades e Organizações representadas e 109 inscritos.

A mesa sobre a Análise de Conjuntura contou com palestras de José Sérgio Gabrielli, economista e ex­-presidente da Petrobras; Sérgio Nobre, presidente da CUT Nacional, e o deputado federal Afonso Florence (PT-BA). A Intersul esteve representada e participou ativamente do evento reforçando o debate sobre a pri­vatização das empresas do setor elétrico e saneamento. Arilson Wunsch, secretário administrativo e financeiro da FNU, disse que os urbanitários estão planejando o ano de 2020, que novamente será um ano muito difícil para a classe trabalhadora, mas principalmente para a sociedade brasileira que sofrerá os impactos das pri­vatizações. “Nossa soberania está sendo frontalmente ameaçada com as intenções de entrega dos setores elétrico e de saneamento”, explicou Arilson.

O presidente da CNU, Paulo de Tarso, ressaltou: "te­mos uma certeza, a de que saímos mais fortes para en­frentar os desafios que se apresentam! E a máxima do #juntossomosmaisfortes segue fazendo história!"