Centenas de trabalhadores da Celesc, a maioria do interior do estado e que viajaram toda noite, fizeram plantão na manhã de hoje, dia 20 de fevereiro, na administração central da empresa. Eles fizeram uma vigília para demonstrar seu descontentamento para os acionistas da Celesc que estavam em reunião no prédio. Especificamente, ao Conselho de Administração, os trabalhadores pediram que não aprovem nome do eleito para Diretor Comercial (que é eleito pelos trabalhadores) pois não alcançou o quórum necessário. Querem que seja aprovada nova eleição com nova  Comissão Eleitoral. Os trabalhadores elegeram, ano passado, um diretor que foi destituído pelo presidente da empresa de forma ilegal, caracterizando-se, portanto, um golpe.

A manifestação seguiu depois para a Assembleia Legislativa, onde os trabalhadores se encontraram com o presidente Julio Garcia e dezenas de parlamentares. Desta vez o objetivo era se posicionar sobre a questão de conflito de interesses que é o presidente da Celesc (uma empresa pública) ser funcionário da Engie, investidora audaciosa no setor elétrico brasileiro. Empresa esta que muito se beneficiaria de informações privilegiadas da Celesc.

Na sequência os trabalhadores da Celesc seguiram para o Tribunal de Contas onde também deixaram assinalada sua posição a respeito da ilegalidade de Cleicio Poleto, o funcionário da Engie.

O espirito dos manifestantes não era dos mais amistosos pois os trabalhadores vêm enfrentando vários desmandos da direção da empresa que quer o fim da gestão compartilhada, está ameaçando a representação dos empregados no Conselho de Administração e tenta intimidar os sindicatos com frases como “este será o pior ano de suas vidas”. Além de tudo isto eles estão alarmados com uma intervenção do governador do estado que, em redes sociais, disse estar esperando o melhor momento para privatizar a Celesc.

A manifestação contou também com aposentados, que há mais de 10 anos não vinham à Celesc, e prometeram que, se precisar, irão lotar o prédio da administração central quantas vezes necessária para manter a empresa pública. Todos externaram um imenso orgulho pelo prêmio recebido há poucos dias que colocou a empresa como a mais eficiente do Brasil. E prometem este ano mais uma vez cumprir as metas da empresa rumo a concessão por mais 25 anos.