Sinergia visita ALESC em defesa da Eletrobras Pública

O Sinergia fez a defesa da Eletrobras Pública ontem (19) junto a deputados e deputadas estaduais na Alesc. A receptividade foi muito positiva. Mesmo os gabinetes de parlamentares mais ligados ao liberalismo econômico toparam conversar e estudar os argumentos do sindicato sobre os riscos da privatização da empresa. O Sinergia também convidou os parlamentares a fazerem vídeos em defesa da Eletrobras Pública. #mp1031não #mpdoapagão #salveaenergia

Sinergia dá continuidade a visitas a Câmaras de Vereadores

O Sinergia deu continuidade nesta terca-feira (18) às visitas e conversas com vereadores e vereadoras de municípios da Grande Florianópolis. O objetivo era trazer argumentos sobre os riscos da privatização da Eletrobras aos consumidores e aos seus respectivos municípios. Hoje, quarta-feira, o sindicato dará continuidade ao diálogo com deputados estaduais na Assembleia Legislativa. A votação da MP1031, de privatização da Eletrobras está prevista para ser votada hoje na Câmara dos Deputados e, se for aprovada, depois segue para votação no Senado. #MP1031NÃO #mpdoapagão #salveaenergia @salveaenergiasul Salve a Energia

Mais de mil pessoas participam de ato on line contra privatização da Eletrobras

Mais de mil pessoas participaram nesta terça-feira (18), pela manhã, da Mobilização Nacional Contra a Privatização da Eletrobras, ato transmitido ao vivo pelo Zoom. Parlamentares de diversos partidos, lideranças de movimentos sociais e trabalhadores do setor elétrico nacional fizeram falas em defesa da Eletrobras pública e contrárias à MP 1031/21, que estava pautada para ser votada ontem na Câmara dos Deputados. Pelo Sinergia, a dirigente Cecy Marimon Gonçalves discursou diretamente da sede da CGT Eletrosul, indicando os perigos ambientais, sociais e de crise energética a partir da possibilidade de privatização do grupo Eletrobras. O evento também foi transmitido pelo canal do YouTube da página @salveaenergia , onde outras centenas de pessoas acompanharam a transmissão. A dirigente Cecy ainda participou, no período da tarde, de um evento promovido pela CUT do Rio de Janeiro, também em defesa da Eletrobras Pública. Ao fim da tarde desta terça-feira, o presidente da Câmara, Arthur Lira, indicou que a votação do projeto de desestatização da empresa foi adiado e colocado na pauta de hoje, 19 de maio. O Sinergia segue vigilante e atento ao andamento do projeto nos próximos dias, sempre em defesa da empresa pública e de seus trabalhadores e trabalhadoras. #mp1031não #mpdoapagão #eletrobras #salveaenergia

Dirigentes do Sinergia visitam Câmaras de Vereadores

Nesta segunda e terça-feira (17 e 18 de maio) dirigentes do Sinergia estão visitando as Câmaras de Vereadores, dialogando com os parlamentares presentes e entregando correspondências com argumentos contra a privatização da Eletrobras. Junto com a correspondência vai também uma vela, que simboliza o risco de apagões, caso a privatização aconteça. Vereadores e vereadoras são a base dos deputados e deputadas federais em Brasília e têm forte poder de influência sobre eles. A receptividade na segunda-feira foi positiva, com bons diálogos inclusive com vereadores de partidos alinhados ao atual governo. A preocupação sobre os rumos da Eletrobras é uma preocupação do povo brasileiro. ?? #mp1031não #mpdoapagão #salveaenergia @salveaenergia

Eletricitários participam de tuitaço contra privatização da Eletrobras

Na última quinta-feira (06/05), eletricitários da base do Sinergia participaram de mais um tuitaço em defesa da Eletrobras pública. A hashtag utilizada no ato foi a #MPdoApagão e mobilizou pelo menos 43.000 tuítes praticamente ao mesmo tempo. A organização dos tuitaços pelos sindicatos de eletricitários e urbanitários em todo o Brasil se dá para chamar a atenção da classe política e da mídia para a importância da Eletrobras pública. Confira no link abaixo mais informações sobre o tuitaço do dia dia 06:
Tuitaço em defesa da Eletrobras atinge 43 mil tuítes

Informe: ação de correção do FGTS

INFORME – AÇÃO DE CORREÇÃO DO FGTS O Sinergia esclarece aos trabalhadores e às trabalhadoras que o STF retirou o processo do FGTS da pauta do dia 13/05/2021. Assim, o julgamento foi adiado. Não se tem expectativa de quando haverá nova data de julgamento. Nos próximos dias o sindicato trará novas informações sobre o tema. Florianópolis/SC, 7 de maio de 2021. A Diretoria

Protestos por vacinas e em defesa do serviço público marcam o 7 de abril

Neste dia 7 de abril, Dia Mundial da Saúde, dirigentes de diversos sindicatos e movimentos sociais se reuniram pela manhã em frente ao Palácio d’Agronômica, na Avenida Beira-Mar Norte. O objetivo era cobrar das lideranças políticas estaduais pela vacinação em massa da população. Além disso, também estiveram nas pautas a proteção aos trabalhadores da saúde pública, a defesa das empresas e serviços públicos, bem como regras rígidas de combate à pandemia, evitando que mais mortes aconteçam em nosso estado. O ato seguiu ao meio dia para a escadaria da Catedral Metropolitana de Florianópolis, onde várias lideranças se revezaram denunciando o descaso das autoridades com as mortes pela Covid-19. Dirigentes do Sinergia se fizeram presentes nos dois atos com cartazes e faixas defendendo a importância das empresas públicas e o pedido de não privatização da Eletrobras no momento mais duro da pandemia, onde a prioridade deveria ser a compra de vacinas e medidas emergenciais para socorrer trabalhadoras e trabalhadores que sofrem com a crise econômica no País – tais como o auxílio emergencial no valor de pelo menos R$600,00.

Eletricitários devem estar em grupo prioritário de vacinação

A Federação Nacional dos Urbanitários (FNU/CUT), órgão do qual o Sinergia é associado, fez o protocolo na data de ontem (31/03), do pedido de inclusão de trabalhadores do setor de energia elétrica no grupo prioritário no Plano Municipal de Vacinação em todo o País. A carta com o pedido foi endereçada a Antônio Barra Torres, diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a ANVISA.

Participe da Campanha Salve a Energia

O SINERGIA está participando da campanha Salve a Energia, pelo Futuro do Brasil, diga não à privatização da Eletrobras. O governo federal entregou a Medida Provisória MP1031/21 (guarde este número) no dia 23/02/2021, para ser votada pelos deputados e senadores. Esta medida provisória tem força de lei, e vale já a partir do dia 24/02 por 60 dias, podendo ser prorrogada por mais 60. Se votada, a Eletrobras terá sido autorizada a ser vendida para o setor privado; se a MP caducar, estará vencida uma batalha contra a privatização. No decorrer do tempo que está passando, precisamos pedir aos deputados e deputadas que não pautem a medida provisória. Existem muitas outras prioridades para serem votadas. Auxílio Emergencial, compra de vacinas, entre outros projetos importantíssimos ao longo destes meses. Para fortalecer a luta, estamos colhendo assinaturas com e-mail e telefone no site www.salveaenergia.com.br .

Lutas contra a privatização e por melhorias no ambiente de trabalho marcaram o mês de março no Sinergia

O mês de março foi de muito trabalho no Sinergia. Na base CGTEletrosul, os dirigentes se empenharam na criação e divulgação da campanha Salve a Energia pelo Futuro do Brasil (contra a privatização da Eletrobras), além de terem atuado para a pactuação da PLR 2020 e iniciado as discussões da PLR 2021. O Sinergia e a Intersul também realizaram reuniões com a gestão da CGTEletrosul, na tentativa de sensibilizar a diretoria sobre a importância de preservar vidas na pandemia da Covid-19, reforçando a necessidade de colocar o maior número de trabalhadores e trabalhadoras em home office. Por fim, também atuaram prestando apoio aos empregados desligados arbitrariamente pela empresa, alegando o cumprimento da EC 103/2019, com apoio da assessoria jurídica do Escritório Garcez. Na base Celesc os dirigentes do sindicato também tiveram muitas tarefas a cumprir. As demandas relacionadas às lojas de atendimento renderam um bom tempo de dedicação. Foram realizadas reuniões com os diretores da DGC e DCL, assim como com o gerente da ARFLO/NUCAP, cobrando melhorias na segurança do escritório de Santo Amaro da Imperatriz e a reforma da loja de atendimento de Governador Celso Ramos – que, desde julho do ano passado, tem janelas quebradas, telhas caídas por conta do ciclone bomba, goteiras, sem que a empresa faça os devidos reparos. Ainda na loja de Governador Celso Ramos, o Sinergia tem cobrado das chefias a poda do mato no quintal da loja, que vem rendendo reclamações, inclusive, dos vizinhos do prédio da Celesc. Os dirigentes do Sinergia também cobraram melhorias no escritório de Alfredo Wagner, local em que a empresa utiliza uma sala comercial alugada muito antiga e onde tem um terreno próprio que poderia servir para ser construída uma loja nova, mais moderna. Outro problema recorrente levado aos diretores da companhia é a falta de atendentes comerciais em diversas lojas. A demanda é tão crítica que chegou ao ponto da maior loja de atendimento do estado funcionar com apenas uma atendente em dois períodos, motivo pelo qual o sindicato interveio de maneira mais enérgica. Juntamente com os outros sindicatos da Intercel, foi retomada a ação judicial pedindo o fechamento das lojas da Celesc enquanto a pandemia estiver em seu ponto mais crítico, com falta de leitos de UTIs em todo o estado. Eletricistas da área comercial também trouxeram demandas sobre a falta de armários e espaço para que pudessem se trocar na Celesc da Ivo Silveira, além da falta de água e copos e a necessidade de limpeza mais constante no dormitório do plantão. Na Administração Central, o Sinergia pediu uma reunião com gerentes da ARFLO/NUCAP sobre a mudança das escalas de duplas do plantão – troca que foi realizada sem que houvesse diálogo prévio com os trabalhadores. Novas demandas surgiram nos últimos dias de março, como a necessidade de cobrança de limpeza e melhorias na Subestação Norte da Ilha, além da elaboração de uma carta para a gerência da ARFLO/NUCAP exigindo que não seja descontado o banco de horas dos empregados quando houver sanitização em alguma sala de trabalho ou quando houver necessidade dos trabalhadores fazerem exames para detectar a Covid-19 – a Celesc vem descontando horas do banco quando faz a sanitização por suspeita de Covid-19 ou quando os empregados precisam ser testados para a doença, fato que o Sinergia repudia. Nos próximos dias, o sindicato deverá trazer novas informações para a categoria sobre o PCS e a PLR. Além de todo esse relato, o sindicato também participou de reuniões e conversas para resolver necessidades pontuais de trabalhadores e trabalhadoras em diversos setores da Celesc. O Sinergia também acompanha negociações de Acordos Coletivos de Trabalho e atende a demandas de trabalhadoras e trabalhadores de pelo menos outras sete empresas do ramo da indústria de energia elétrica na Grande Florianópolis. O sindicato segue trabalhando em defesa dos direitos da categoria e pela manutenção das empresas públicas!