Author Archives: admin

Campanha para eleição de representantes de base

Candidatas e candidatos devem se inscrever entre 18 e 22 de outubro

O Sinergia lançou no dia 06 de outubro o processo para eleição de representantes sindicais de base. Segundo Mário Jorge Maia, o Marinho, Coordenador do Sinergia, “o representante de base é o elo entre trabalhadores e sindicato, é um fiscal do cumprimento de direitos e condições de trabalho onde o empregado está”. Ele afirma, ainda, que “é a pessoa escolhida pelos colegas para desempenhar um papel fundamental na luta coletiva, o de representar o trabalhador junto ao sindicato e o sindicato junto ao trabalhador”. Caroline Camargo Borba, secretária da Comissão Eleitoral, explica que dirigentes sindicais estão percorrendo as bases nesta semana para divulgar o calendário eleitoral: “estamos convidando a categoria e divulgando que o período de inscrições acontecerá de 18 a 22 de outubro e podem concorrer eletricitárias e eletricitários lotados na Grande Florianópolis e que estejam sindicalizados ao Sinergia pelo menos desde o dia 20 de setembro de 2021”.

O processo de inscrição para concorrer é simples: a pessoa deve solicitar a ficha de inscrição pelo e-mail sinergia@sinergia.org.br, preenchê-la, anexar uma foto de rosto e devolvê-la através do mesmo e-mail.
Também pode solicitar a ficha a um dirigente do Sinergia em seu local de trabalho ou
fazer a inscrição diretamente na sede do sindicato, no endereço Rua Lacerda Coutinho, 149, no centro de Florianópolis, das 9h às 16h, durante o período de inscrições.

A eleição acontecerá em 22 de novembro e a posse em 29 de novembro, para um mandato de dois anos.

Confira a quantidade de representantes de base em cada empresa:
Celesc: 18; CGT Eletrosul: 12; Engie: 1; São Sebastião: 1; Cerej: 7.

Fonte do texto: Jornal Linha Viva.
Imagem: divulgação

Eletrobras: o Brasil na contramão do mundo

Enquanto países de todo o mundo buscam reestatizar empresas de energia, Brasil encaminha privatização da Eletrobras

A privatização recém aprovada da Eletrobras é apresentada como solução para os entraves relacionados à manutenção e expansão da oferta de energia elétrica no Brasil, que decorreriam de baixos investimentos e ineficiência na gestão estatal. Na verdade, a Lei 14.182/21, que determina a medida, representará significativo retrocesso para o desenvolvimento socioeconômico do país.

Como aponta estudo elaborado pelo Dieese, intitulado Privatização da Eletrobras: risco para a soberania energética do país, é possível vislumbrar que a subordinação desse setor estratégico à lógica do lucro, entre outras consequências, resultará na adoção de uma matriz enérgica mais suja e numa tarifa mais cara. Além disso, a privatização coloca o Brasil na contramão da experiência internacional, que aponta para a reestatização de serviços que foram privatizados e para a adoção de políticas voltadas à transição para uma matriz energética mais limpa.

Para se ter uma ideia do que está em jogo, a Eletrobras, maior empresa da América Latina no setor, é responsável pelo controle de cerca de 45% das linhas de transmissão do sistema elétrico nacional e por 30% da geração de eletricidade do país, sobretudo a partir de usinas hidrelétricas com grandes reservatórios.

Em praticamente todos os países em que se localizam os maiores parques geradores de hidroeletricidade, a participação do setor público é majoritária ou integral. Mesmo nos Estados Unidos, 75% da capacidade instalada são de propriedade do setor público, o que, no mínimo, sugere a importância desses ativos em termos de segurança e soberania.

Por outro lado, a afirmação de que a Eletrobras precisa de uma “capitalização”, para investir suficientemente, não resiste ao exame dos indicadores econômico-financeiros da empresa. Entre 2018 e 2020, por exemplo, o lucro líquido total acumulado pelo grupo foi de 31 bilhões de reais. Uma empresa que apresenta essas cifras tende a reunir condições de mobilizar recursos próprios e de terceiros para investir em expansão.

Se os investimentos nos últimos anos são considerados insuficientes, isso é resultado da reorientação política da gestão, visando à preparação da venda da empresa. Desde 2016, a Eletrobras vem sendo conduzida de acordo com ditames de rentabilidade e distribuição de dividendos, “com ênfase na redução dos custos de pessoal, como ocorre em diversas empresas privadas do setor elétrico”, como mostra outro estudo do Dieese (Privatização, desnacionalização e terceirização no setor elétrico brasileiro). O valor investido em 2020 foi de apenas 3,1 bilhões de reais, isto é, 19% do investimento em 2013. Ainda assim, está previsto para 2021 o pagamento de cerca de 4 bilhões de reais em dividendos aos acionistas.

Em outros países, as privatizações das décadas de 1980 e 1990 vêm dando lugar a centenas de reestatizações, em diversos setores de atividades, em países como Alemanha, Estados Unidos e França. No caso da energia, entre as principais justificativas para esse movimento estão a democratização do acesso aos serviços, a ampliação da participação e do controle social e o reconhecimento da necessidade de se empreender um processo de transição para uma matriz energética de caráter renovável e mais acessível à população.

*Matéria publicada originalmente na revista Carta Capital, e reproduzida no jornal Linha Viva nº 1496, de 19 de agosto de 2021. Imagem do site Salve a Energia.

Celesc: Acordos aprovados

No dia 13 de agosto de 2021, os trabalhadores da Celesc aprovaram quatro acordos coletivos de trabalho, após paralisação.

Diante de ataques a direitos e propostas rebaixadas, a categoria decidiu, em assembleia estadual virtual, pela paralisação das atividades. A disposição de luta dos celesquianos foi fundamental para destravar o processo negocial, trazendo avanços nas propostas de acordo para Ajuste do Salário Inicial, Participação nos Lucros e Resultados 2021, Adicionais de Linha Viva e Despachante e Passivo do Plano de Saúde. O detalhe das propostas foi divulgado na segunda-feira, no Boletim da Intercel nº 164.

Agora, as atenções da categoria se voltam para a negociação do Acordo Coletivo de Trabalho 2021/22, que devem iniciar no dia 26 de agosto. Os trabalhadores esperam por uma negociação que respeite seus direitos históricos e retome a estrutura de atuação sindical. Para a Intercel (coletivo dos sindicatos majoritários da Celesc), a negociação do ACT exigirá ainda mais união e mobilização dos trabalhadores, na luta por um acordo justo e pela manutenção da Celesc Pública.

Fonte do texto: Jornal Linha Viva nº1496, de 19 de agosto de 2021.

Assembleia Estadual tem participação expressiva de celesquianos

Reunião virtual ajudou a construir a pauta de reivindicações do ACT 2021/22

Os sindicatos da Intercel agradecem aos mais de 500 trabalhadores e autoridades presentes na Assembleia Estadual dos Empregados da Celesc neste sábado, 07 de agosto.

É com a união da categoria que conseguiremos avançar em direitos e lutar pela manutenção da Celesc pública e de qualidade. 👊

Acompanhe e participe dos próximos passos da construção do Acordo Coletivo de Trabalho 2021/22.

Eletriciários contra a Privatização

Oposição ingressa com ação no STF contra privatização da Eletrobras:

➡️ Partidos de oposição apresentaram mais uma ação no Supremo Tribunal Federal para derrubar a Medida Provisória que abre caminho para a privatização de Eletrobras.

➡️ O PSB, a Rede, o PSOL, o PDT e o PCdoB se uniram para subscrever uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) para barrar a proposta do governo, sancionada na terça-feira 13. A ação foi protocolada nessa quarta-feira, dia 14.

https://www.facebook.com/282852528433640/posts/4505836346135216/

#PrivatizarNÃO
#FNU#CNU
#eletrobraspública
#salveaenergia

Caravana da Intercel

O Sinergia promoveu uma nova percorrida por alguns escritórios da Celesc nesta quarta-feira, dia 14. As visitas ao SPSL, NUCAP, Almoxarifado Central e escritórios de Santo Amaro da Imperatriz, Rancho Queimado e Alfredo Wagner aconteceram para dar retornos de demandas a trabalhadores, além de ouvir novas necessidades da categoria.

Hoje (quinta-feira), o Sinergia se reúne com outros sindicatos para fazer o planejamento da Caravana da Intercel e definir se a Caravana 2021 acontecerá de maneira presencial ou on line. 👊

28 de junho: Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+

Hoje, 28 de junho, é Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+. Muitas empresas usarão suas redes sociais para dizer que apoiam a diversidade. Mas será que atuam mesmo pelo fim dos preconceitos e da homofobia dentro do local de trabalho?! Debater a discriminação por orientação sexual não pode ser tabu no ambiente das empresas. Piadas homofóbicas não podem ser toleradas. Gerentes não podem ser omissos e precisam intervir em casos assim. Além disso, as empresas precisam reconhecer a diversidade e as uniões homoafetivas em seus documentos e em igualdade em relação a todos os direitos. O Sinergia é entusiasta desta causa! Viva a diversidade! #lgbt #pride #orgulho

Assembleia Regional do ACT 2021/22 da Celesc será na próxima terça-feira, 29/06

O Sinergia fez uma grande campanha nos últimos meses em defesa da Eletrobras Pública. Infelizmente, na luta política, fomos derrotados, mas agora a batalha segue no Judiciário para manter a estatal pública. Nesta última semana, além de dar andamento ao processo de resistência de privatização da Eletrobras pela via jurídica, o Sinergia também acompanhou e organizou assembleias de Acordos Coletivos de duas empresas privadas da região da Grande Florianópolis. E visitou praticamente todos os postos de trabalho da CELESC em nossa área de atuação. O objetivo da visita foi entregar a Pré-Pauta do ACT 2021/22 aos celesquianos e celesquianas e explicar os encaminhamentos para a negociação do próximo Acordo Coletivo de Trabalho. Deste modo, o primeiro compromisso será nesta terça-feira, dia 29 de junho, às 18h30min, em primeira convocação, e às 19h, em segunda e última convocação, com qualquer número de presentes, para debater a Pré-Pauta do ACT 2021/22 da CELESC. Participe! O link da assembleia será enviado até terça-feira, dia 29, pelo e-mail corporativo dos celesquianos e das celesquianas! #celesc #celescpública

Edital de Convocação – Assembleia Geral Ordinária CEREJ

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica de Florianópolis e Região – SINERGIA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, CONVOCA os empregados da Cooperativa de Eletrificação Rural Senador Esteves Junior – CEREJ, associados e não associados, para se reunirem em Assembleia Geral Ordinária, a realizar-se nos seguintes dias: Para os(as) trabalhadores(as) lotados(as) na sede da empresa e no Posto de Atendimento de Águas Mornas, no dia 25-06-2021 (sexta feira) às 08h00min, em primeira convocação, com número regulamentar de presentes, ou às 08h15min, em segunda convocação, com qualquer número de presentes, tendo como local o pátio externo da sede da CEREJ em frente ao almoxarifado no município de Biguaçu/SC. Para os(as) trabalhadores(as) lotados(as) nas demais áreas da CEREJ, no dia 28-06-2021(segunda feira), às 13h00min, em primeira convocação, com número regulamentar de presentes, ou as 13h15min, em segunda convocação, com qualquer número de presentes, tendo como local, área externa do Posto de Atendimento de Major Gercino, na Localidade de Pinheiral. Ordem do Dia: 1 – Informes; 2 – Debater e deliberar a contraproposta da CEREJ, com vistas ao Acordo Coletivo de Trabalho – ACT 2021/2022. Florianópolis, 23 de junho de 2021. Diretoria Colegiada do Sinergia

PDV: Engie responde correspondências da Intersul

PLANO DE DESLIGAMENTO VOLUNTÁRIO – PDV ENGIE RESPONDE CORRESPONDÊNCIAS DA INTERSUL A INTERSUL encaminhou recentemente duas correspondências à ENGIE sobre o PDV, buscando um posicionamento formal da empresa sobre solicitações recorrentes dos/as empregados/as. Reproduzimos abaixo as solicitações dos/as empregados/as e as respostas da empresa: Solicitação encaminhada pela INTERSUL: Correspondência INTERSUL 08 / 2021 – Ref.: Aposentadoria Especial e o PDV … Considerando o avolumamento de pedidos de esclarecimentos, reiteramos formalmente, nosso questionamento sobre a manutenção pela empresa do atual procedimento (demissão sem justa causa) para aqueles/as empregados/as que não aderirem ao PDV, ora em discussão, e que venham obter Aposentadoria Especial via ação judicial transitada em julgado, após o término do prazo de Adesão estabelecido no citado PDV… Resposta da ENGIE: Correspondência ENGIE – CE-EBE-GPC-0073/2021-V.1 … Acusando o recebimento da carta Intersul base ENGIE – 008/2021, cumpre esclarecer que a empresa manterá o atual procedimento de desligamento sem justa causa para os empregados que obtenham e acessem a aposentadoria especial, considerando a decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal que reconheceu a constitucionalidade do §8º do art. 57 da Lei nº 8.213/91… Solicitação encaminhada pela INTERSUL: Correspondência INTERSUL 09 /2021 – Ref.: PDV … Conforme proposto e aprovado na assembleia, encaminhamos a reivindicação dos empregados em relação ao estabelecimento de Termo de Garantia da manutenção das adesões aprovadas pela empresa no PDV, no caso de venda da empresa Diamante e/ou da Pampa Sul. O referido Termo deve constar no Contrato de Venda como obrigação do novo proprietário. Resposta da ENGIE: Correspondência ENGIE – CE-EBE-GPC-0073/2021-V.1 … Em relação aos termos da Carta Intersul base ENGIE – 009 /2021, a empresa observará as regras estabelecidas, discutidas e aprovadas pela categoria profissional e que se encontram registradas no acordo coletivo de trabalho – PDV assinado pelas entidades sindicais. JUNTOS SOMOS FORTES – FILIE-SE ÀS ENTIDADES DA INTERSUL