Tag Archives: Celesc

Trabalhadores da Celesc aprovam em assembleias proposta de ACT e PLR

Na terça-feira, 20 de setembro, a Intercel foi finalmente recebida pelo Presidente Cleicio Martins, no intuito de levar as demandas reprimidas e evitar uma iminente greve. Na conversa inicial, o tom de negativas ainda foi mantido, porém, após muita discussão, houve uma sinalização de conversa entre os diretores. Após uma pausa, nova reunião foi realizada, mas o presidente apostava que os sindicatos estariam preocupados apenas com a liberação de dirigentes sindicais, e que se a situação da redução de dirigentes fosse resolvida, a proposta pífia seria imediatamente aprovada. Ledo engano. Os sindicatos têm bandeiras de luta definidas em conjunto com os trabalhadores, e essas premissas não seriam abandonadas.

Até então, o indicativo era o encaminhamento de uma greve, o que é desgastante para todos. Quando os dirigentes estavam prestes a se dirigir para suas bases, o presidente ligou e então pediu nova reunião, já tarde da noite de terça-feira, que resultou em uma proposta mais aderente a ser aprovada pelos trabalhadores. Além das cláusulas já informadas nos boletins da Intercel, foram oferecidos o reajuste salarial pelo IPCA integral, referente a 30 de setembro, data base da Celesc, a gratificação de 25 anos para os novos empregados, manutenção do mesmo quantitativo de dirigentes sindicais liberados, criação de um GT anuênio e gratificação de férias e o abono dos dias parados nas 3 últimas mobilizações. Para a PLR, a proposta melhorou também. As assembleias aconteceram na quarta-feira, 21 de setembro, em todo o estado, e aprovaram a proposta de ACT e o Acordo de PLR. Se você ainda não é sindicalizado(a), procure o sindicato da sua base e filie-se: a sua contribuição faz a luta ainda mais forte!

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1549 de 22 de setembro de 2022

Ralf Zimmer é o oitavo candidato a assinar carta compromisso em defesa da Celesc pública

Dos dez candidatos ao governo de Santa Catarina, oito já assinaram o compromisso de manutenção da Celesc Pública, se eleitos. Apenas Carlos Moisés (Republicanos), candidato à reeleição, e Odair Tramontin (Novo), não assinaram o documento. Ralf Guimarães Zimmer Júnior, do PROS, foi o oitavo candidato a assumir o compromisso, nesta terça-feira, dia 20, na sede do Sinergia, em Florianópolis.


Ralf se comprometeu, além de manter a Celesc Pública, a lutar pela aplicação do home office na empresa, seguindo o que já é aplicado em outras instituições públicas do estado, e a nomear servidores de carreira para funções estratégicas, se eleito. Além disso, sobre a divisão dos lucros na empresa, também prometeu fazer a distribuição apenas a quem é servidor de carreira da companhia: “quem é comissionado, de fora, já foi agraciado ao ganhar um cargo que depende apenas da tinta da caneta do governador de estado de plantão. Não deve ter direito a lucro porque não fez por merecer”. E questionou: “o que fez para merecer um cidadão que entra na Celesc com um canetaço do governador e passa a receber lucro do trabalho de quem está há 20 ou 30 anos na empresa? Não fez nada, então não deve merecer. Eu vou extinguir, se eleito governador, um centavo de lucro para comissionado de fora e garantir 50%, no mínimo, dos cargos comissionados, incluindo direção, para os servidores de carreira”. Ralf concluiu: “a Celesc não é para enriquecer amiguinho do governador. A Celesc é para servir o catarinense e honrar o trabalho de quem está há 20 ou 30 anos subindo em poste. É pra isso que a gente vai trabalhar.”


A Intercel e o Conselheiro Eleito pelos trabalhadores seguem buscando todas as candidaturas ao governo do estado para que assinem o compromisso de manutenção da Celesc Pública, se eleitos. O prazo final para os candidatos assinarem o documento encerra nesta segunda-feira, 26 de setembro.

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1549 de 22 de setembro de 2022

Leandro Brugnago Borges assume compromisso com a Celesc pública

O candidato a governador pelo Partido da Causa Operária (PCO), Leandro Brugnago Borges, assinou a carta compromisso em defesa da Celesc Pública no mesmo dia que o candidato Gean Loureiro, na quarta-feira da semana passada.


Leandro afirmou que, para o PCO, “a participação da classe operária e do partido operário nas eleições é obrigatória como parte do desenvolvimento político das massas, que somente podem superar o parlamentarismo burguês pela experiência prática. Neste sentido, a intervenção política independente nas eleições com um programa socialista e de luta por um governo próprio da classe trabalhadora é imprescindível”.


O candidato também relatou que seu partido propõe a atuação unificada da classe trabalhadora para barrar qualquer tentativa de privatização da Celesc, as tentativas de privatização que já estão em andamento, bem como a reestatização de todas as empresas e serviços públicos privatizados, como a Eletrobras, através de mobilizações e greves.


Durante a assinatura, Leandro também afirmou que seu partido não semeia a ilusão de que “os problemas da classe trabalhadora, originados pelo capitalismo, possam ser resolvidos pelo voto, mas sim pela mobilização de classe, com seus próprios meios de luta e pelo estabelecimento de um governo próprio da classe operária”. Leandro é marceneiro e tem como candidato a vice-governador Jair Fernandes de Aguiar Ramos, do mesmo partido.

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1549 de 22 de setembro de 2022

Gean Loureiro assina carta compromisso em defesa da Celesc pública

Na quarta-feira da semana passada, dia 14, em Rio do Sul, o candidato a governador Gean Loureiro (União Brasil) assinou a carta compromisso em defesa da Celesc Pública. Estavam presentes no ato da assinatura o atual Representante dos Empregados no Conselho de Administração da empresa, Paulo Horn, o ex-Conselheiro, Leandro Nunes, e os dirigentes do Sintevi, João Batista de Liz, e do Sindinorte, Ingrid Voigt.


Loureiro, que foi eleito vereador, deputado e prefeito de Florianópolis para dois mandatos, afirmou que vê a Celesc como uma empresa “destinada a realizar políticas públicas que levem energia a todo o estado”. Ele também disse ter recebido críticas “sobre a falta de acesso da atual administração da empresa e da lógica mercantilista dos acionistas”, colocando-se como defensor de uma empresa que prime pelo atendimento à população catarinense e não uma empresa que apenas busque o aumentar o lucro para seus acionistas.


O Conselheiro e os dirigentes da Intercel presentes fizeram um breve relato da importância da manutenção da Celesc Pública, empresa indutora do desenvolvimento de Santa Catarina, e da necessidade da companhia ser gerida com foco no bom atendimento à sociedade, respeitando os seus trabalhadores e buscando um diálogo franco e direto com suas entidades de representação e com a sociedade.


Gean afirmou que não pensa em privatizar a empresa, mas deixou claro que a decisão depende da possibilidade de mudar o modo de trabalho apresentado pela atual administração, “introduzindo a lógica de priorizar o bom atendimento e não a satisfação dos acionistas”. O candidato também explicou que, se eleito, manterá portas abertas às representações dos celesquianos, buscando o diálogo para a construção de uma Celesc Pública eficiente e sustentável para levar energia de qualidade a toda a população catarinense.


Por fim, o candidato encaminhou uma correspondência à representação dos empregados no Conselho de Administração, afirmando que “a Celesc deve cumprir seu papel social, atendendo bem a sociedade catarinense, seus clientes domiciliados nas regiões urbanas e rurais, com investimento em redes trifásicas e subestações, como condição para a manutenção do seu caráter público”.


Gean foi o sexto candidato ao governo de Santa Catarina a assinar a carta compromisso, após Décio Lima (PT), Jorginho Mello (PL), Jorge Boeira (PDT), Esperidião Amin (PP) e Professor Alex Alano (PSTU).

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1549 de 22 de setembro de 2022

Assembleias rejeitam proposta de PLR e aprovam paralisação amanhã

Foi aprovada nas Assembleias de Trabalhadores da Celesc em todo o estado uma paralisação de um dia para esta sexta-feira, dia 16 de setembro, em resposta à negativa da empresa em apresentar uma proposta de PLR mais justa com os celesquianos. A categoria já havia rejeitado nas assembleias no mês passado a primeira proposta apresentada pela Direção da empresa. A nova proposta, após a rejeição, não teve muitas mudanças e foi igualmente ruim.


O presidente e a Diretoria da Celesc fazem comunicados e discursos enaltecendo os resultados positivos da Celesc. Recorde de lucros, premiações por boa avaliação dos consumidores, restabelecimento da energia em tempo recorde após inúmeras catástrofes climáticas, mas na hora desse reconhecimento sair do discurso e vir para a prática, os trabalhadores ficam a ver navios.


A paralisação aprovada em todo o estado acontece no mesmo dia em que Celesc e sindicatos voltam a negociar cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho da categoria.

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1548 de 15 de setembro de 2022

Alex Alano é o quinto candidato ao governo a assumir compromisso da Celesc pública

Depois de Décio Lima (PT), Jorginho Mello (PL), Jorge Boeira (PDT) e Esperidião Amin (Progressistas), o quinto candidato ao governo de Santa Catarina a assinar a carta compromisso em defesa da Celesc como empresa pública foi o Professor Alex Alano, do PSTU.


A assinatura da carta aconteceu no município de Morro da Fumaça. Presente no encontro no sul do estado, o Representante dos Empregados no Conselho de Administração da Celesc, Paulo Horn, fez a defesa da manutenção da Celesc Pública e defendeu que os trabalhadores são os principais responsáveis pelos bons serviços prestados à população reconhecidos por diversos prêmios na avaliação do consumidor conquistados pela empresa nos últimos anos.


Alex afirmou seu compromisso não só pela manutenção da Celesc Pública, mas defendendo que todas as empresas estatais estejam sob controle 100% público: “além disso, defendemos também a reestatização das empresas públicas privatizadas, como forma de prover um serviço público de qualidade a toda a população”.


Nos próximos dez dias, até o dia 26 de setembro, a Intercel seguirá buscando as candidaturas ao governo do estado e dando publicidade em seus meios de comunicação àqueles que assinaram o compromisso pela manutenção da Celesc Pública.

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1548 de 15 de setembro de 2022

Candidato a governador Esperidião Amin assina carta compromisso em defesa da Celesc Pública

O candidato a governador Esperidião Amin (Progressistas) foi o quarto candidato ao governo de Santa Catarina a assinar a carta compromisso em defesa da Celesc Pública. Amin assinou o documento na sede da APCELESC, em Florianópolis, e estava acompanhado de assessores e do candidato ao Senado pela sua coligação, o deputado estadual Kennedy Nunes (PTB).


Durante a assinatura, o candidato ao governo lembrou que a Celesc foi a primeira empresa do País a ser enquadrada no nível 2 de governança da Bolsa de Valores de São Paulo. E que, depois disso, a trajetória da empresa ao longo dos anos “não foi uma linha reta, perfeita, mas que havia um compromisso saudável com a eficiência, com a transparência, com a governança”. E que, a partir desse enquadramento, quando “houveram erros, eles eram facilmente denunciáveis e detectáveis”. O Senador também registrou o reconhecimento pela ANEEL pela competência dos serviços da Celesc entre as empresas de energia no Brasil.


Ao assinar a carta, Amin pediu que fossem feitas duas considerações, que ele fez questão de registrar para a Intercel: “eu tenho esse compromisso de dar transparência, critério, respeito ao resultado, tudo aquilo que faz parte da governança, dando sequência ao esforço traduzido pela circunstância da Celesc ter sido guinada à condição de empresa inscrita no nível 2 de governança”. A outra consideração, que ele afirmou ter ouvido nas andanças pelo estado, não são críticas quanto à sua eficácia ou eficiência, mas quanto à visibilidade de atendimento, citando como exemplo a tentativa do governo de levar a Regional de Criciúma para Tubarão e todo o processo de retirada de Agências Regionais feita pela administração atual. E que as queixas que tem ouvido são quanto a demora da diretoria a dar respostas rápidas para as necessidades do estado: “a diretoria se amarrou muito para dar uma resposta à estação de Botuverá, por exemplo. A indústria têxtil está crescendo e é uma compradora de energia. Sem energia, não se instala uma fábrica nova”

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1548 de 15 de setembro de 2022

Jorginho Mello é segundo candidato a governador a assinar o compromisso pela Celesc pública

A assinatura da Carta Compromisso pela Manutenção da Celesc Pública pelos candidatos ao governo de Santa Catarina é uma prática do Conselheiro Eleito pelos trabalhadores e dos sindicatos da Intercel realizada há muitos anos. O Conselheiro e as entidades sindicais entram em contato com todos os candidatos, independente de ideologia ou posicionamento político, e buscam deles o comprometimento contra a privatização da estatal. A recomendação para que o Conselheiro Eleito e os sindicatos sigam fazendo esse contato com as candidaturas foi renovado no 11° Congresso dos Empregados da Celesc, ocorrido no mês de maio passado.


Até o momento, o candidato Décio Lima (PT) era o único a ter assinado o documento. Na última sexta-feira, 26 de agosto, mais um postulante ao governo de Santa Catarina se comprometeu com a pauta dos celesquianos. Na cidade de Joinville, o atual Senador Jorginho Mello (PL) assinou o documento e assumiu o compromisso de, se eleito, não privatizar a Celesc.


Apesar de ter votado pela privatização da Eletrobras no último ano, enquanto Senador da República, Mello já havia afirmado sua disposição em não privatizar a Celesc, caso eleito, na abertura do 11° Congresso dos Empregados da empresa.


Presente no ato de assinatura do documento, o Conselheiro Paulo Horn reafirmou “a importância da Celesc para o desenvolvimento de Santa Catarina e a qualidade dos trabalhadores da empresa, responsáveis pelo bom serviço prestado à sociedade e pelo reconhecimento convertido em prêmios pela ANEEL”.


Jorginho Mello foi deputado estadual por quatro mandatos e federal por duas legislaturas. O candidato iniciou na política como vereador do município de Herval D’Oeste e, em 2018, foi eleito ao Senado Federal. Como candidata a vice, Jorginho tem a ex-delegada Marilisa Boehm, do mesmo partido.

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1547 de 01 de setembro de 2022

Primeira rodada de negociação do ACT da Celesc acontece nesta sexta-feira

Após dois anos com Assembleias Regionais e Estadual on line, por conta da pandemia da Covid-19, celesquianas e celesquianos de todo o estado participaram em peso neste ano da construção da Pauta de Reivindicações da categoria. Tanto as Assembleias Regionais como a Assembleia Estadual foram presenciais e tiveram uma participação significativa de trabalhadores, demonstrando o interesse da categoria na construção de seus direitos e na luta coletiva.


A Pauta de Reivindicações amplamente debatida ao longo de dois meses foi entregue no último dia 12 de agosto em mãos ao presidente da companhia, Cleicio Poleto Martins, e demais diretores da Celesc. A primeira rodada de negociação está agendada para amanhã, sexta-feira.


A expectativa da categoria é grande para as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho deste ano. A empresa vem batendo suas metas ano a ano e vem registrando recorde de lucros, mesmo em meio a um cenário turbulento de pandemia e incertezas políticas. Mais que isso, os trabalhadores da Celesc conquistaram para a empresa, no último mês, aquilo que a imprensa considera o “oscar da qualidade dos serviços” entre as distribuidoras de energia elétrica: a companhia recebeu o prêmio ANEEL de qualidade de serviço, ficando classificada como a melhor distribuidora de energia elétrica do Sul do Brasil e a terceira melhor no ranking nacional, competindo com outras concessionárias públicas e privadas. A avaliação é feita pelo próprio consumidor. Em entrevistas dadas a jornais locais no mês passado, o presidente Cleicio fez questão de enaltecer o trabalho desenvolvido pela categoria. Durante a entrega da Pauta de Reivindicações, no dia 12, o presidente da Celesc também enalteceu a rapidez com que a categoria restabeleceu o sistema de energia após a passagem de um ciclone na primeira semana de agosto, em Santa Catarina.


As negociações do Acordo Coletivo de Trabalho são o momento certo para que esse reconhecimento aos trabalhadores e às trabalhadoras deixe de ser apenas discurso. É preciso que o elogio, que o reconhecimento público à dedicação da categoria se torne efetivo, se torne realidade, oferecendo aos trabalhadores um ACT digno, com direitos básicos respeitados e com salários e benefícios reajustados de forma a reconhecer todo esse empenho e dedicação. É o mínimo que a categoria espera e merece da atual diretoria da Celesc.

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1546 de 25 de agosto de 2022

Candidaturas ao conselho fiscal e diretorias da Celos iniciam campanha na Celesc

No 11° Congresso dos Empregados da Celesc, em maio passado, em Joinville, foi deliberado pela categoria que os sindicatos da Intercel e a APCelesc apoiariam chapas para concorrer nas eleições ao Conselho de Administração da Celesc e à Celos. Diante deste encaminhamento do Congresso, os sindicatos da Intercel e a APCelesc prepararam nomes para concorrer ao pleito que acontece no próximo dia 21 de setembro e que escolherá o próximo Conselho Fiscal e Diretores de Seguridade e Administrativo Financeiro da Fundação.


Os nomes indicados para o Conselho Fiscal são Patrícia Mendes e Lúcio André Souza da Silva (Chapa 1) e Daniel dos Passos e Pricila Baldissera (Chapa 2). Como candidatos a Diretor foram indicados Leandro Nunes (Chapa 1) como Diretor Administrativo Financeiro e Paulo César da Silveira (Chapa 1) como Diretor de Seguridade. A campanha iniciou na última segunda-feira, dia 22, e os candidatos apoiados pela Intercel e a APCelesc já pegaram a estrada: Patrícia, Lúcio e Paulo começaram a campanha visitando e dialogando com trabalhadores da região da Grande Florianópolis. Já Leandro, Pricila e Daniel iniciaram a percorrida pedindo votos pelas Regionais de Criciúma e Tubarão. Ainda nesta semana as candidaturas visitarão postos de trabalho em outras regiões do estado.


É muito importante que a categoria participe das conversas, ouça e questione os candidatos apoiados pela Intercel e a APCelesc. Todos os nomes indicados pelas duas entidades têm um histórico de luta em defesa dos direitos da categoria, têm uma reputação ilibada, estão preparados para as funções que estão concorrendo e têm o compromisso de zelar por uma administração ética e transparente. É importante que os nomes eleitos pelos trabalhadores sejam pessoas de confiança e que estejam dispostas a lutar pelos direitos dos usuários dentro da Celos, de modo que as forças perante a patrocinadora estejam equilibradas dentro da Fundação. A eleição acontece no dia 21 de setembro e será 100% eletrônica.

Fonte: Jornal Linha Viva Nº 1546 de 25 de agosto de 2022